Relatos do exterior (histórias de alunos e ex-alunos que tenham ido para a China ou que estejam lá)

“Poucas pessoas falam inglês na China. É preciso ter muita sorte e paciência para encontrar alguém que possa dar uma informação válida. Ter estudado na escola Kotaitai fez muita diferença. Cheguei à escola de Mandarim, em Shanghai, no nível pré-intermediário. Em pouco tempo já conseguia me comunicar com o povo local, o que foi muito bacana. Aprender mandarim não é só aprender uma língua, mas toda uma cultura milenar. Além de ser a língua do futuro, é um reduto de valores e bons costumes que nós ocidentais deveríamos aprender mais.” Fernanda Morena, 24 anos, jornalista, aluna da escola há três anos

“Comecei a estudar o mandarim há cinco anos. Inicialmente era mais por interesse na cultura oriental, que sempre gostei. Depois fui vendo o crescimento da China e a influência cada vez maior que este país tem exercido no mundo. Assim, acredito que saber mandarim certamente vai ser um diferencial no futuro, tanto no comércio como em outras áreas.” Anderson Souza, 29 anos, programador, aluno da escola há 5 anos

Quando eu comecei a estudar mandarim, eu só sabia que era uma língua difícil: não sabia nem dizer “oi” (ni hão). Continuo achando mandarim difícil, mas o que tornou mais gostoso (tentar) aprender foi o quanto de cultura veio junto. Os professores e professoras da escola Ko TaiTai são falantes nativos, que vieram para o Brasil. Assim, aula com eles não tem como evitar cultura! E desta maneira não é um choque, mas sim uma passagem calma e bem humorada de hábitos, costumes e muitas vezes até de comida tradicionais. Tudo isso com muito ânimo. E muito chá! Por isso que as aulas sempre foram gostosas, apesar das dificuldades. Estudei com eles dois anos e meio, aprendi mas percebi também que mandarim exige muita dedicação e disciplina. Hoje estou na China, ciente que muito tenho a aprender ainda, mas o que sei e a ajuda das minhas professoras me tranqüiliza muito. Sucesso, ko tai tai!” Ana Balestro, 24 anos, aluna da escola há 4 anos