O que é o mandarim?
Os ideogramas chineses surgiram há cerca de 4.500 anos. Com o passar dos anos, no entanto, foram se simplificando. Durante a Revolução Cultural, foi criada uma versão simplificada dos ideogramas, que hoje é utilizada na China e em Singapura. A versão tradicional é utilizada em Taiwan e no sul da China.

O ideograma chinês é chamado de Hanzi e serviu como base para o desenvolvimento do alfabeto japonês (kanji) e coreano. Ao contrário do alfabeto latino, em que a letra identifica um som, mas não dá qualquer informação sobre seu significado, em chinês cada ideograma tem um significado, mas não um som. Ou seja, a não ser que você saiba o som de um ideograma, você não pode deduzi-lo apenas olhando para ele, mas pode saber o significado. Isso faz com que os vários dialetos possam ler um mesmo texto, mesmo que sua pronúncia seja diferente. Originalmente, os ideogramas chineses eram representações pictográficas da vida. No entanto, milhares de anos depois, apenas alguns poucos ainda guardam alguma semelhança, como o caractere para árvore, por exemplo: (mù).

O número de ideogramas chineses é bastante grande – são 214 radicais que, combinados, formam uma infinidade de significados –, se comparado ao alfabeto brasileiro, de apenas 23 letras. Ao contrário do português, uma pessoa não precisa saber todos os caracteres para poder ler um texto em chinês. Na verdade, praticamente nenhuma pessoa é capaz de ler todos os caracteres. Normalmente, o número conhecido por alguém varia de acordo com a escolaridade dessa pessoa.

O mandarim era inicialmente composto por cerca de 50.000 ideogramas. Os sistemas de computador hoje incorporam cerca de 6.500 na China e 13.000 em Taiwan. Para que se leia um jornal comum, por exemplo, é necessário o conhecimento de 3.000 ideogramas chineses (ou 4.000 em Taiwan). Uma pessoa é considerada alfabetizada na China caso conheça 2.000 ideogramas específicos.

Antigamente, os caracteres eram escritos verticalmente, na orientação de cima para baixo, da direita para a esquerda. Atualmente, a escrita é feita horizontalmente, da esquerda para direita, como nos idiomas ocidentais.